A professora Paula Bento, Diretora eleita pelo Conselho Geral no passado dia 15 de julho, tomou posse do cargo no dia 3 de agosto.

No seu discurso de tomada de posse a nova Diretora proferiu as seguintes palavras:

«Antes de mais, agradeço a presença de todos vós neste ato que constitui um momento de viragem para a vida deste Agrupamento.

Quero aqui exprimir uma palavra de apreço ao colega Jorge Pacheco que acabou de me telefonar e expressou o desejo de estar presente nesta cerimónia, mas por questões de força maior foi-lhe impossível comparecer. Para ele um bem-haja e que a sua recuperação seja rápida para que possa em breve estar junto de nós a desempenhar as suas funções.

Quero igualmente agradecer o voto de confiança que o Conselho Geral depositou em mim.

O meu projeto para este Agrupamento, assenta em duas ideias principais que estão espelhadas no lema do projeto: «Uma escola inclusiva rumo à excelência». Por um lado, esta comunidade tem de investir na construção de uma escola inclusiva, em que respeitadas as particularidades de cada um, todos são incluídos, como diz o pedagogo Paulo Freire «Não há saber mais ou saber menos: Há saberes diferentes».

 Por outro lado, a prestação de um serviço de qualidade tem de ser igualmente uma prioridade, particularmente a excelência ao nível do ensino ministrado.

Levar a bom porto a missão a que me proponho requer um trabalho concertado entre todos (superiores hierárquicos direção, conselho geral, conselho pedagógico, docentes em geral, assistentes administrativos e operacionais, famílias e demais membros e entidades da comunidade local). De sublinhar a importância fundamental do apoio e colaboração da Câmara Municipal e das associações de pais.

A minha visão da Escola é que esta seja uma instituição que impulsiona a mudança, que procura a inovação e incentiva a participação das famílias na sua vida quotidiana e que prepara os jovens para o exercício de uma cidadania ativa, participativa e plena.

Contudo, se alcançar os objetivos a que nos propomos já é uma tarefa difícil, a situação atual de pandemia dificulta bastante a nossa ação. Vivemos tempos difíceis e o desafio que enfrentaremos é grande. Mais do que nunca a colaboração e o apoio de todos é essencial.

Para concluir, gostaria de partilhar convosco uma afirmação do pedagogo Rubem Alves que reflete a visão da escola que eu também partilho: «Há escolas que são gaiolas e há escolas que são asas».

As escolas que são gaiolas existem para que os pássaros desaprendam a arte de voo. Pássaros engaiolados são pássaros sob controle. Engaiolados, o seu dono pode levá-los para onde quiser. Pássaros engaiolados têm sempre um dono. Deixaram de ser pássaros, porque a essência de ser pássaros é o voo.

Pelo contrário, escolas que são asas não amam pássaros engaiolados. O que elas amam são pássaros em voo. Existem para dar aos pássaros coragem para voar. Ensinar o voo, isso elas não podem fazer, porque o voo já nasce dentro dos pássaros. O voo não pode ser ensinado. Só pode ser encorajado.

Eu identifico-me com as escolas que são asas e gostaria que este Agrupamento trabalhasse para dar asas aos nossos alunos. Muito obrigada!»

Além da Diretora, a equipa da direção é ainda constituída pelos seguintes docentes:

Subdiretor: Paulo Jorge Teixeira Cavaco

Adjunta da direção: Maria Vitória do Rosário Brázio

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.